16 de nov de 2011

Estudo aponta que emissão de aerossóis impacta regime de chuvas

Poluentes atmosféricos reduzem chuvas fracas e intensificam tempestades.
Pesquisa norte-americana foi publicada na revista 'Nature Geoscience'.


Um estudo feito por pesquisadores dos Estados Unidos e publicado nesta semana na revista científica “Nature Geoscience” afirma que o aumento da poluição do ar e a elevação das emissões contaminantes de partículas na atmosfera podem afetar o desenvolvimento de nuvens e reduzir as chuvas em regiões secas.
Outro problema decorrente disto é a elevação de chuvas, nevascas e tempestades severas em áreas ou estações úmidas. O estudo analisou que uso intenso de aerossóis, além de poeira, fuligem e outras partículas na atmosfera afetariam o tempo e o clima e causariam implicações importantes na gestão dos recursos hídricos de várias regiões dos EUA.
A partir de informações referentes a dez anos de medições atmosféricas, os cientistas verificaram o impacto na atmosfera dos aerossóis provenientes da queima de combustíveis fósseis, processos industriais e agrícolas, além da queima acidental ou deliberada de campos e florestas.
De acordo com a pesquisa, as partículas finas de poluentes impedem a formação de chuvas suaves e causa o aumento de tempestades severas.
“Isso aumenta a urgência para a necessidade de controle de nitrogênio, enxofre e emissões de hidrocarbonetos", diz Russell Dickerson, cientista atmosférico da Universidade de Maryland que participou do estudo, financiado pela Fundação Nacional de Ciência (NSF, na sigla em inglês).
“Esta complexa influência está ausente dos modelos climáticos”, disse Steve Ghan, do Pacific Northwest National Laboratory.
Fonte: G1
Related Posts with Thumbnails