21 de set de 2011

Ciclorrota vai ligar USP ao metrô


No Dia Mundial Sem Carro (22/09), a capital ganha uma ciclovia e uma ciclorrota para conectar o metrô à Universidade de São Paulo (USP), na zona oeste. O conjunto terá 840 metros de extensão e ligará a Estação Butantã da Linha 4 -Amarela até o portão principal da Cidade Universitária.

Para estimular o uso desse tipo de transporte, um novo bicicletário com 54 vagas e dez bicicletas para empréstimo também será inaugurado amanhã na Estação Butantã. O equipamento será batizado de Antonio Bertolucci, em homenagem ao ciclista que morreu em junho deste ano após ser atropelado por um ônibus na zona oeste. Prevista para trabalhar em conjunto com o Pedalusp, sistema de empréstimo de bicicletas da universidade, a unidade funcionará das 6h às 22h e será operada pelo Instituto Parada Vital, que já faz esse serviço em outras estações do Metrô.

Ontem, o Estado percorreu o trajeto entre a estação e o portão principal da USP. O primeiro trecho, de cinco quarteirões, é composto de uma ciclorrota em ruas calmas e pouco movimentadas, como a que já foi implementada no Brooklin, na zona sul. Nesse modelo, não há separação física entre o tráfego de bicicletas e de carros. Apenas são colocadas placas e sinalização para relembrar ao motorista a preferência que as bicicletas têm na rua - algo previsto no Código de Trânsito Brasileiro para todas as vias, de maneira geral.

O trajeto continua com uma ciclovia no canteiro central da Avenida Afrânio Peixoto, que termina na entrada principal da universidade. Ontem, a pintura, o acabamento e o local de travessia da avenida para chegar na ciclovia ainda não estavam finalizados. 'É um caminho calmo, e com a ciclovia no canteiro vai facilitar a pior parte do caminho, que é essa avenida', comemorou o jardineiro José Batista, de 48 anos, que faz esse mesmo trajeto todo dia há mais de duas décadas. 'Tomara que o movimento de bicicletas aumente.'

Ônibus. Para a comemoração do Dia Mundial Sem Carro, a cidade de 7 milhões de veículos terá outras novidades para incentivar o transporte coletivo. Será inaugurada amanhã uma ampliação da faixa exclusiva de ônibus na Radial Leste - atualmente, no percurso já há uma extensão de 4,4 km de faixa exclusiva e 4 km de faixa preferencial nos dois sentidos. Com a ampliação, os ônibus terão um total de 11,4 km de faixas exclusivas nos dois sentidos. Além disso, a Prefeitura vai restringir o trânsito de caminhões e veículos de fretamento na Radial Leste entre a Avenida Aricanduva e a Rua da Figueira.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) também vai criar uma faixa reversível para ônibus na Rua Almirante Brasil, na Mooca, zona leste. Ela funcionará a partir de amanhã, das 6 horas às 9 horas.

Para completar, a CET vai testar, em caráter educativo, a utilização das nove faixas reversíveis da cidade exclusivamente para carros com mais de um ocupante. São elas: Ponte das Bandeiras/Avenida Santos Dumont; Avenida Luiz Dumont Vilares; Ponte da Casa Verde entre a Avenida Brás Leme e a Rua Baronesa de Porto Carreiro (dois sentidos); Ponte dos Remédios; Radial Leste (dois sentidos); Avenidas Morumbi e Giovanni Gronchi; e Ponte João Dias. Agentes de fiscalização da companhia vão instruir os motoristas - se a iniciativa der certo, poderá ser adotada diariamente.

São Paulo é uma das oito cidades brasileiras que integram a lista oficial de cidades participantes do Dia Mundial Sem Carro (no ano passado, o País tinha 30 municípios na listagem). Estão planejadas uma série de atividades gratuitas para conscientizar a população sobre a importância do incentivo ao transporte coletivo, como um café da manhã coletivo na Praça do Ciclista, entre as 7h30 e as 10h.
Atualmente, a frota paulistana infla em uma velocidade seis vezes superior ao crescimento da população.

Fonte: Estadão
Related Posts with Thumbnails