31 de ago de 2010

Sustentabilidade: Brasil em 6º lugar


A consciência pela sustentabilidade está em alta no Brasil. O país ficou em 6º lugar no ranking de 75 países que participaram do desafio global Green Your World (Torne seu mundo verde), lançado no dia 5 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente, pelo IEEE. Os participantes brasileiros mostraram que estão preocupados, por exemplo, com a troca de lâmpadas incandescentes por fluorescentes ou LED. No geral, quem participou do desafio se comprometeu em reciclar produtos eletrônicos, a reduzir o consumo de água em casa, a desconectar da tomada aparelhos eletrônicos que não estivessem em uso e a reflorestar suas comunidades.

O resultado global do desafio mostrou que 36% escolheram o item “Cada Gotinha Conta”, sobre redução do consumo diário doméstico de água; 24% optaram por “Reflorestar sua Comunidade”, plantando uma árvore; 18% comprometeram-se com o desafio de tirar da tomada os “Vampiros da Energia”, desconectando os aparelhos eletrônicos que estavam em stand by; 13% decidiram adotar lâmpadas de energia eficientes, substituindo lâmpadas incandescentes por lâmpadas fluorescentes compactas (CFLs) ou lâmpadas com diodos emissores de luz (LED); e 9% reciclaram seus aparelhos eletrônicos antigos optando pelo item “Seja um Herói do e-Lixo”.

A participação dos países na consulta teve o seguinte resultado: Tailândia (27%), Líbano(22%), Estados Unidos (15%), Peru (10%), Índia (8%), Filipinas (2%) e Brasil (2%).

Veja o resultado completo por país e por desafio, no site:

www.ieeegreenyourworld.org/results.html/a

Fonte: Ambiente Energia

Universidade constrói "Telhado Verde"



O Design Verde é uma tendência da arquitetura moderna, e não estamos falando apenas da cor, mas sim de locais como o prédio de cinco andares da Escola de Arte, Design e Comunicação da Universidade Tecnológica de Nanyang, em Cingapura. A construção conta com uma cobertura vegetal e sua forma orgânica se mistura com a natureza onde está inserida. Os telhados revestidos de grama servem como ponto de encontro informal, além de ajudar no equilíbrio térmico do edifício e na absorção da água da chuva.

30 de ago de 2010

Edifícios: menos consumo de energia


Diminuir o consumo de energia sem prejudicar o conforto de ambientes é a missão do Laboratório de Controle Ambiental e Eficiência Energética da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UnB (Lacam/FAU). Investir em uma iluminação inteligente, que combine luz natural e artificial, é uma das alternativas propostas pelos pesquisadores. Projetos que levam em conta esses conceitos desde o início chegam a gastar metade da energia de um prédio convencional. Mesmo aqueles que ganham adaptações posteriores podem ter até 30% de economia no gasto com energia.

“Para avaliar a eficiência energética de uma construção é preciso considerar três aspectos: envoltória – a estrutura externa do edifício –, o condicionamento de ar e a iluminação”, explica Cláudia Amorim, coordenadora do grupo de pesquisa Qualidade Ambiental e Iluminação Natural no Espaço Construído do Lacam. Detalhes como o uso de cores brancas na fachada são essenciais. “As cores mais escuras absorvem muito calor, o que pode aumentar os gastos com ar-condionado”, explica a pesquisadora.

O laboratório participa da avaliação de prédios para etiquetagem de eficiência energética do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) – sendo responsável pela análise das condições do prédio da nova Rodoviária Interestadual de Brasília.

Claúdia afirma que a iluminação mais eficiente é uma conquista que depende de planejamento. “O setor da construção consome 40% da energia mundial. Construir um prédio já pensando nisso significa uma economia durante toda vida útil da construção”, afirma Caio Silva, doutorando em Arquitetura Sustentável. “As lâmpadas próximas a janela tem que ter acendimento independente, para não desperdiçar a luz natural”, exemplifica Cláudia.

Temperatura - Para o condicionamento de ar é importante verificar como os aparelhos de ar-condicionado, por exemplo, foram avaliados pelo Inmetro. “Eles classificam o nível de consumo de A até E. Analisamos a etiqueta dos aparelhos para saber qual vai ser o nível da construção nesse aspecto”, afirma a Claúdia.

De acordo com a pesquisadora, prédios grandes ganham pontos quando incorporam em sua estrutura ares-condicionados centrais. “O ideal para os prédios da Esplanada dos Ministérios seria, por exemplo, isso. Muitos deles ainda adotam os tradicionais aparelhos de janela”. O Lacam prestará consultoria para o projeto Esplanada Sustentável, do governo federal.

Casos de sucesso – Na UnB, o novo prédio do Instituto de Química é um caso de sucesso no aproveitamento da luz. “Os combogós, quadrados vazados na fachada do prédio, diminuem a incidência direta da luz solar, mantendo o ambiente agradável”, explica Milena Sintra, estudante de mestrado do Lacam. Por outro lado, a nova sede do Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CONFEA) apresenta outra solução para o mesmo problema. “Eles usaram uma tela verde antes dos vidros, que funciona como uma proteção solar”.

Fonte: Ambiente Energia

Ônibus a biodiesel reduz 30% da poluição


Testes feitos em ônibus do transporte coletivo de Curitiba movidos totalmente a biodiesel mostram que houve redução de 30% no índice médio de monóxido de carbono e queda de 25% de fumaça expelida no ar.

A implantação da chamada Linha Verde de Curitiba, com seis ônibus movidos 100% a biocombustível -à base de soja, o B 100-, completou, neste mês, um ano. Por causa dos bons resultados, essa pequena frota será expandida para 150 ônibus -10% do total de veículos de Curitiba- até 2012.

Os testes foram feitos comparando ônibus abastecido com óleo diesel comum e outro movido a biocombustível.

"Os resultados são animadores. Não tivemos problemas de desgaste ou comprometimento dos veículos", disse Elcio Karas, gestor da área de inspeção e cadastro do transporte coletivo da Urbs (empresa da prefeitura que gerencia o transporte coletivo de Curitiba).

Os testes que mostraram a redução de poluição foram feitos pela montadora Scania, que, segundo a prefeitura da cidade, não forneceu os números absolutos.

Os ônibus da Linha Verde são biarticulados, com capacidade para até 180 passageiros em cada veículo. Eles atendem duas áreas de grande movimentação, as regiões sul e central. Segundo a prefeitura, os seis veículos de Curitiba são a primeira frota de ônibus do transporte coletivo do país movida 100% a biodiesel.

NOVA ETAPA
O projeto entrou na segunda fase neste mês e terá um ano de duração. Até o mês passado, os ônibus rodavam cerca de 2.500 quilômetros/ mês. Agora passaram a trafegar em média 10 mil quilômetros, aproximadamente a mesma distância cumprida pelos ônibus convencionais que circulam pela cidade.

O aumento da quilometragem foi autorizado pela ANP (Agência Nacional do Petróleo) -necessário, segundo a Urbs, para validar testes de combustíveis alternativos. O projeto dos ônibus biocombustíveis envolve um termo de cooperação técnica assinado por empresas e instituições públicas reunidas para a experiência.

A iniciativa envolve duas empresas concessionárias - que compraram os veículos-, a Prefeitura de Curitiba e, também, as montadoras Scania e Volvo, que projetaram os ônibus, além das empresas que distribuem e produzem o biocombustível. Já o Tecpar (Instituto de Tecnologia do Paraná, ligado ao governo do Estado) é a instituição responsável pela medição do desempenho do novo combustível. Fonte: Folha de São Paulo

27 de ago de 2010

Evento Limpo: Gestão Ambiental em RAVES


O contato com a natureza; sensações únicas vividas em um ambiente preservado; música e meio ambiente numa sincronia perfeita! Nada disso faz sentido sem que haja por parte da organização de uma RAVE a consciência ambiental para que o evento tenha uma gestão sustentável em todos os sentidos: consumo, energia, água, e principalmente: geração de lixo!

Com base nessa necessidade, a Physis SDA criou um novo conceito de evento, onde a música, o meio ambiente e o público fazem parte de uma coisa só, interagindo de forma sustentável, em harmonia igualitária.

O Evento Limpo chega trazendo medidas de gestão ambiental sustentável, de forma a gerenciar todos os impactos que uma festa de música eletrônica gera: redução no consumo de água e energia; neutralização de carbono; mkt ambiental; e gestão de resíduos sólidos.

A Physis SDA oferece às empresas de eventos toda a logística com equipe de limpeza; coleta, armazenamento e transporte dos resíduos, desde a montagem até a desmontagem; consultoria em mkt ambiental; dentre outras inúmeras ações que fazem com que os eventos sejam ecologicamente responsáveis e socialmente justos.

Promovemos a separação e reciclagem de todo o lixo do evento, desde materiais básicos, como plástico e metais, até a coleta e reciclagem de bitucas de cigarro! com Agentes Ambientais trabalhando em tempo integral, garantindo que todo o lixo gerado seja corretamente destinado.

Apresentações à parte, acompanhe um pouco do trabalho que desenvolvemos no vídeo abaixo:



Visite também o nosso fórum e participe do concurso de Paint do Evento Limpo! O melhor desenho levará 2 ingressos pra próxima RAVE que implementar o Evento Limpo! Inscreva-se e participe!!!



Vitor Yuki
Diretor Geral

Physis SDA na ECO Business 2010


A Physis SDA estará presente na ECO Business 2010, um evento de disseminação de conceitos e práticas sustentáveis. A Feira e Congresso Internacional de Econegócios e Sustentabilidade, promovida pela MES Eventos desde 2008 em São Paulo, reúne empresas que desenvolvem projetos sustentáveis, ecoprodutos e serviços, com o intuito de gerar negócios, promovendo integração, troca de informações e geração de conhecimento nas esferas social, ambiental e econômica.

Além da feira é realizado também o Congresso Negócios e Cidades Sustentáveis, que discute temas relevantes como projetos adotados por governos, empresas, ONGs e universidades, visando entendimento das estratégias e resultados obtidos para melhorar a vida nas cidades com a implementação de iniciativas sustentáveis e como podemos nos organizar para gerar riqueza e lucratividade nas cidades impactando menos o meio ambiente.

Iremos apresentar nossos serviços de consultoria ambiental, divulgando principalemte a
Gestão de Resíduos em Eventos. Estaremos participando da feira juntamente com as empresas: Pra Melhor Ambiental e Reciclados Artísticos.

Estão todos convidados!! Visite o nosso estande!!!

A ECO Business acontecerá nos dias 31 de agosto, 1 e 2 de setembro no Centro de Exposições Imigrantes. Pavilhão de Convenções. Horário : 13h às 21 h.

A feira é gratuita, para participar basta se credenciar clicando
AQUI


5 de ago de 2010

Lula sanciona lei que cria Política Nacional dos Resíduos Sólidos


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou nesta segunda-feira (2) a Política Nacional dos Resíduos Sólidos, que tem o objetivo de incentivar a reciclagem de lixo e o correto manejo de produtos usados com alto potencial de contaminação. Entre as novidades na nova lei está a criação da “logística reversa”, que obriga os fabricantes, distribuidores e vendedores a recolher embalagens usadas. A medida vale para materiais agrotóxicos, pilhas, baterias, pneus, óleos lubrificantes, lâmpadas e eletroeletrônicos.

A legislação também determina que as pessoas façam a separação doméstico nas cidades onde há coleta seletiva. Catadores e a indústria de reciclagem receberão incentivos da União. Além disso, os municípios só receberão recursos do governo federal para projetos de limpeza pública e manejo de resíduos depois de aprovarem planos de gestão. A lei ainda precisa passar por regulamentação. Será necessário, por exemplo, estabelecer um prazo de adaptação para as empresas e disciplinar o tipo de tratamento que deve ser dado a cada tipo de material.

De acordo com Lula, a regulamentação deve sair em 90 dias. "Nós temos que ter cuidado para não demorar pare regulamentar. Não podemos passar de 90 dias", afirmou ele durante cerimônia de sanção da lei.

O objetivo das novas regras é estabelecer a responsabilidade compartilhada entre a sociedade, empresas, governos estaduais, a união e prefeituras no manejo correto do lixo. "A adoção de uma lei nacional para disciplinar o manejo de resíduos é uma revolução em termos ambientais. O maior mérito, contudo, é a inclusção social de trabalhadores que durante anos foram esquecidos e maltratados pelo poder público", disse o presidente.

A lei proíbe ainda a criação de lixões onde os resíduos são lançados a céu aberto. Todas as prefeituras terão que construir aterros sanitários ambientalmente sustentáveis, onde só poderão ser depositados resíduos sem qualquer possibilidade de reaproveitamento. Será vetado também catar lixo, morar ou criar animais noesses aterros. A legislação proíbe ainda a importação de qualquer tipo de lixo.

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, a produção diária de lixo nas cidades brasileiras chega a 150 mil toneladas. Deste total, 59% vão para lixões e apenas 13% são reaproveitados. O ministério informou ainda que Orçamento de 2011 prevê R$ 1 bilhão para financiamentos e invcentivos do governo a reciglagem. Além disso, a Ceixa Econômica Federal tera R$ 500 milhões disponíveis em crédito para cooperativas de catadores e projetos que tratam de manejo de resíduos.

Related Posts with Thumbnails