27 de set de 2010

Prefeituras em prol do meio ambiente


Duas ações realizadas por prefeituras do Estado de São Paulo estão colaborando com o meio ambiente. Primeiro é na cidade de São Carlos que está transformando o entulho proveniente da construção civil em blocos, bancos e mesas para as praças públicas do município. Duas praças já foram entregues à população e uma terceira está em fase de construção.

João Muller, presidente da Progresso e Habitação de São Carlos S/A (Prohab), empresa pública municipal, ressalta que, além de reduzir os custos de materiais, a transformação do entulho em peças para as praças contribui para a preservação do meio ambiente. "São Carlos está avançando muito na reutilização do entulho", destaca.

O município já instalou um Ecoponto, que recebe entulho de construção civil dos munícipes do bairro São Carlos 8. No total, a cidade vai contar com oito unidades, que devem receber entulhos por meio de carroceiros e pequenos veículos (com capacidade para até 1m3). A cidade produz diariamente cerca de 450 toneladas de entulho.

Esses materiais são encaminhados para a fábrica de blocos da prefeitura, que recicla aproximadamente 100 toneladas/dia de entulho, transformando-os em bica corrida, areia, pedra e pedrisco. Uma parte desses produtos é utilizada na preservação das estradas rurais de São Carlos e outra é destinada à fábrica de blocos.

Na fábrica, 14 detentos da Penitenciária de Itirapina trabalham em duas prensas na produção de 7.500 peças por dia, entre outros materiais. Os produtos são utilizados pela própria prefeitura e também vendidos para compradores interessados.

A prefeitura utilizou cerca de 15 mil peças de bloquetes nas duas praças até agora entregues - uma no bairro Azulville e outra no Jardim Tijucas. Em breve, entregará outra unidade no bairro Cidade Aracy.

Guarulhos

Após dois anos de implantação do programa Ilhas Verdes, Guarulhos (Grande São Paulo) já plantou cerca de 30 mil árvores para reduzir as ilhas de calor urbanas na cidade. Com o plantio de árvores e a proteção e recuperação das florestas, o programa visa equilibrar as condições climáticas, com foco em locais de grande incidência de calor.

Regulamentada por legislação municipal em agosto de 2009, a iniciativa foi reconhecida como exemplo de política pública de combate ao aquecimento global pela Unesco, que publicou um artigo sobre a o programa em sua revista internacional veiculada na América Latina, na Espanha e no Chile.

O programa Ilhas Verdes surgiu de uma pesquisa sobre os mapas termais do município, identificados via satélite pela UnG (Universidade Guarulhos), com patrocínio da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e apoio da Secretaria de Meio Ambiente de Guarulhos e da Reserva da Biosfera do Cinturão Verde.

Segundo o diretor da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Fábio Vieira, o Ilhas Verdes está se consolidando como exemplo de experiência ambiental bem-sucedida no cenário mundial. Estudos indicam que a elevação da temperatura deve-se ao avanço da urbanização, ao assoreamento dos rios e ao aumento do número de indústrias. Todas estas características aparecem em Guarulhos, a segunda maior economia do Estado, com um importante parque industrial, e localizada ao lado da Capital São Paulo.

Fonte: Pra Melhor Ambiental

Related Posts with Thumbnails